quarta-feira, abril 20, 2005

Francisca Turpin eleita presidente da União Patriótica Guineense

Francisca Vaz Turpin foi eleita, no passado dia 18, presidente do UPG (União Patriótica Guineense), legalizado pelo Supremo Tribunal de Justiça da Guiné- Bissau a 29 de Novembro de 2004.

Nascida a 4 de Outubro de 1952, a presidente da UPG, nacionalista, ex-presa política durante os primeiros anos da independência, desempenhou vários cargos na administração do Estado e no governo, tendo também já sido presidente da Câmara de Bissau e ministra conselheira para os Assuntos Políticos e Diplomáticos do ex-presidente Kumba Ialá.

Eleita por unanimidade, de um conjunto de 560 delegrados provenientes de todo o país, Zinha Vaz (como é conhecida localmente) apresenta os objectivos do partido: a concretização de uma mobilização nacional generalizada e revalorização dos líderes naturais para a “promoção e reconquista do patriotismo e da sabedoria”.

"Sentimos a falta de patriotas no verdadeiro sentido da palavra, imbuídos de patriotismo, libertos do gérmen da corrupção, nepotismo, laxismo, mentira, intriga traição e egoísmo", frisa. Por esta razão, a UPG focalizará a sua estratégia política na luta democrática pelo poder para que, no exercício da governação, possa levar por diante um programa nacional de desenvolvimento acelerado.

Zinha Vaz é, hoje, a segunda mulher à frente de um partido político na Guiné-Bissau, após Antonieta Rosa Gomes, que criou em 1994, o Fórum Cívico Guineense/Social-Democracia (FCG/SD) e se candidatou às presidenciais de 1994 e 1999.


fonte: http://www.lusa.pt