sábado, março 19, 2005

Carmen Dolores pretende sair de cena

Prestes a comemorar 60 anos de carreira teatral , a actriz Carmen Dolores regressará hoje ao palco do Teatro Aberto, em Lisboa, embora pondere despedir-se do teatro, para “se poupar e viver ainda uns anos razoavelmente”.

“Cada vez quero menos fazer teatro, porque isso me dá uma angústia muito grande”, enfatizou a actriz, numa entrevista à agência Lusa.

A sua “verdadeira estreia” data de 19 de Outubro de 1938, dia em que, pela mão o irmão António Sarmento, leu os primeiros poemas aos microfones da Rádio Sonora.

A preocupação constante em não parecer repetir personagens já interpretadas, é uma das justificações que avança para não voltar a pisar o palco.

“Tenho uma ternura muito grande pelas minhas personagens, pelas anteriores e pelas futuras e, por isso, tenho receio de as repetir. E sinto que se o fizesse estaria a atraiçoar personagens e público”, desabafou a actriz.

Em 1945, entrou para a companhia “Comediantes de Lisboa” e subiu ao palco do Teatro da Trindade com a peça “A mensageira dos deuses”, de Jean Girandoux.

No cinema, Carmen Dolores estreou-se em 1943, interpretando Teresa em “Amor de perdição”, baseado na obra homónima de Camilo Castelo Branco.

“Uma pessoa com muita sorte na vida”, “muito inibida e autocrítica”, assim se define a actriz que afirma ter “sido sempre muito bem tratada e acarinhada pelo público”.

Continuar o seu primeiro volume autobiográfico, intitulado “Retrato inacabado. Memórias” e publicado em 1984, é o desafio a que se propõe, agora que decidiu sair de cena.

Fonte: www.lusa.pt