segunda-feira, fevereiro 14, 2005

Missionária norte-americana assassinada

Dorothy Stang, missionária católica norte-americana, foi assassinada a tiros no passado Sábado, na cidade de Anapu, no Estado do Pará, região amazónica do Brasil. A missionária de 73 anos foi baleada na cabeça e no tórax.

Segundo declarações do secretário nacional de Direitos Humanos, o ministro Nilmário Miranda, uma testemunha, que se encontra sob protecção policial, identificou como responsáveis pela morte da missionária dois conhecidos “pistoleiros” da região.

Na última semana, Dorothy Stang reuniu-se com o ministro Nilmário Miranda, e informou-o das ameaças de morte recebidas por várias pessoas da região. A missionária, que tinha também sido alvo de ameaças ao longo dos últimos seis meses, denunciou, ainda, o facto de alguns fazendeiros e madeireiros terem invadido uma área daquele estado brasileiro e desalojado alguns residentes.

Dorothy Stang integrava a Ordem das Irmãs de Notre Dame de Namur, congregação católica internacional que agrupa mais de duas mil mulheres que se dedicam à actividade pastoral nos cinco continentes.

Com o intuito de proteger o ambiente, a missionária pretendia incentivar o desenvolvimento sustentável, trabalhando com as comunidades e movimentos sociais na Amazónia. Desde 1972, desenvolveu projectos sustentáveis para a geração de emprego e reflorestamento em áreas degradadas. A missionária comandava o Projecto de Desenvolvimento Sustentado (PDS) em Anapu numa área autorizada pelo Instituo Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Em 2004, foi-lhe atribuído o Prémio José Carlos Castro, criado pela secção Paraense da Ordem dos Advogados do Brasil, para homenagear os defensores dos direitos humanos. A Assembleia Legislativa do Estado distingui-a com o título “Cidadã do Pará”.

Há já vários anos que a missionária se preocupava com a violência latifundiária e os crimes ambientais cometidos na região, considerando que estes “estavam fora de controlo”. Devido ao seu empenho na redução dos conflitos fundiários, Dorothy chegou a ser acusada, em 2001, de instigar a violência no município, o que provocou protestos e manifestações de apoio e solidariedade à missionária.

Muriel Saragoussi, secretária de Coordenação da Amazónia Do Ministério de Meio Ambiente, que se encontra em Anapu a acompanhar a ministra Marina Silva relata na cidade se vive um clima de “consternação e tristeza”.
Fontes:

http://jornal.publico.pt/2005/02/14/Sociedade/S82.html
www.lusa.pt
http://ibest.estadao.com.br/nacional/noticias/2005/fev/12/52.htm

2 Comments:

At 3:02 da tarde, Blogger selmapereira said...

Venho eu cá na tentativa de encontrar algo de jeito e eis que me deparo com esta imensidão de texto...
Amiga, podes até escrever muito bem, mas para o bem dos teus leitores, please não escrevas tanto, sim?
Muito agradecida

 
At 3:04 da tarde, Blogger selmapereira said...

Tu "sabi" que é tudo brincadeirinha, certo?
Mas aprende a escrever, got it?

 

Enviar um comentário

<< Home