segunda-feira, fevereiro 21, 2005

Aborto clandestino leva aos hospitais três mulheres por dia

Em 2003, mais de mil mulheres (cerca de 3 por dia) deram entrada nos hospitais portugueses devido a abortos clandestinos. Os dados fazem parte do relatório da Direcção Geral de Saúde (DGS), divulgado no seminário "Os jovens e a sexualidade", promovido pela Gulbenkian, no mês passado.

Do estudo conclui-se ainda que, actualmente, as mulheres recorrem a certas drogas, como o misoprostol, visto serem mais fáceis de utilizar e menos arriscadas. Antigamente, o meio mais utilizado eram as agulhas.

Não é fácil determinar os casos que não se enquadram na lei, pois não é possível provar que o aborto não foi espontâneo quando não se encontram evidências químicas ou mecânicas.

A lei portuguesa reconhece a ilicitude do aborto em situações excepcionais, tais como a malformação fetal, o risco de morte da mãe e a violação.

Fonte: Público