quarta-feira, janeiro 19, 2005

Obras de Joana Vasconcelos expostas em Paris

"Se gosto tanto da obra da Joana Vasconcelos, é porque ela tem ao mesmo tempo algo de artes plásticas, algo de lúdico, algo de poético e consegue ter, ainda, uma dimensão social"
Catherine Mathis


A artista Joana Vasconcelos encantou os profissionais franceses ligados à arte, nomeadamente Catherine Mathis, que se revela rendida ao talento da portuguesa. A programadora da galeria de arte "Passade du Désir", em Paris, mostra-se apaixonada pelo trabalho de Joana Vasconcelos, afirmando "Vi o trabalho dela, e em cinco minutos propus-lhe uma exposição", e acrescenta "Foi perceber logo que eu não podia perder esta ocasião de a expor".
A obra da portuguesa fascinou um curador francês, Cédric, que teve oprtunidade de a vislumbrar na exposição do projecto Voyager da ExperimentaDesign, no Terreiro do Paço. Cédric indicou-a aos profissionais da galeria, que não hesitaram em expô-la.
A galeria "Passage do Désir", onde o trabalho da artista poderá ser apreciado, durante os próximos dois meses, acolhe exposições de artes plásticas, fotografia ou vídeo, servindo, também, de palco a desfiles de moda e de galeria a designers. Segundo a artista, as características da galeria, nomeadamente o seu "aspecto arquitéctonico muito próprio", e o imenso espaço disponível, interferiram na escolha das treze obras expostas, que se relacionam "com a própria programação do Passage du Désir", garante Joana Vasconcelos. A artista referiu, a título de exemplo, a peça dos "collants" (Wash and Go), de 1998, e a peça do "Carrossel" (Spin,2001), que é um conjunto de cadeiras de design.
Como consequência desta estreia, a artista recebeu já um convite para uma exposição colectiva em Reims. Obras mais pequenas, mas complementares das expostas na "Passage Du Désir", serão, também expostas no Instituto Camões, em Paris.
Adivinha-se, assim um futuro promissor para a artista portuguesa, pelo que a Comissária da Galeria referida, crê que Joana Vasconcelos "vai chegar muito longe e vai fazer uma belissima carreira".


Fonte : Público, 18-01-2005