terça-feira, janeiro 25, 2005

Ana Elias vence prémio Milénio Sagres

Ana Elias, um novo nome para a música portuguesa

Após concluir o mestrado em carrilhão, na Bélgica, a carrilhanista venceu, recentemente, o prémio Milénio Sagres, graças à sua ideia completamente inovadora de construir um carrilhão itinerante. Esta é, de facto, uma das suas prioridades actuais, revelando-se uma ideia revolucionária, não apenas em Portugal, como no resto do mundo, pois, tal como afirma Ana Elias "existem apenas doze destes instrumentos".

Apesar da sua paixão por este instrumento pouco vulgar, a sua vida nem sempre esteve ligada ao carrilhão. Frequentou o Instituto Gregoriano de Lisboa onde estudou diversos instrumentos, nomeadamente violino, piano, bateria, guitarra, entre outros. Porém, confessa "cheguei a tocar 13 instrumentos diferentes sem saber qual seria o meu..." O contacto com o carrilhão surgiu quando tomou conhecimento de um curso livre, no mesmo Instituto que frequentara. Sentiu curiosidade, inscreveu-se e frequentou o curso.

Uma proposta levou-a a rumar à Bélgica para frequentar a Escola Real de Carrilhão JefDenyn, onde se formou. No final do curso fez um “master” em carrilhão e, após defender a sua tese, regressou a Portugal.

Actualmente, Ana Elias mantém-se empenhada na construção do Carrilhão da Igreja dos Pastorinhos, em Alverca, e é também uma das responsáveis pela criação da primeira Escola de Carrilhão da Península Ibérica.

A carrilhanista revela o seu desejo de divulgar este instrumento e de "levá-lo ao público". Neste sentido, pretende que o "carrilhão seja tocado ao ar livre, em salas de espectáculo e todo o tipo de música : pop, rock, fado, clássica... a duas ou quatro mãos, sozinho ou com outros instrumentos".

Fascinada pela "originalidade do instrumento" e pela "envolvência do som", mostra-se bastante empolgada com a criação do carrilhão itinerante. Crê, aliás, que este instrumento raro animará a cidade de Alverca, podendo até atrair estrangeiros, através dos festivais de música que pretende organizar. A realização de um congresso de carrilhão, é também um dos seus projectos. "Ideias não faltam", remata Ana Elias.


Fonte : Revista “Xis” nº. 292 – 22-01-2005