domingo, dezembro 05, 2004

Britânica desloca-se à Suíça para cometer "Suícidio Assistido"

Uma britânica que sofria de uma doença incurável e progressiva, designada ataxia cerebelosa, recorreu à ajuda médica para morrer.
Segundo Deborah Annetts, responsável pela Sociedade para a Eutanásia Voluntária (SEV), a morte desta mulher de 66 anos ocorreu na passada Quarta-feira, em Zurique, através da administração de uma dose letal de medicamentos.
Para conseguir deslocar-se à Suíça, onde a lei permite a eutanásia, esta mulher viu-se confrontada com uma batalha legal. Conhecida apenas como “Senhora Z”, esta britânica conseguiu, por parte de um Juíz do Supremo Tribunal de Londres, a autorização para que o marido a ajudasse a sair do país. Todavia, aquando do seu regresso ao Reino Unido, o homem poderá enfrentar um interrogatório policial, dado que o suicídio assistido é, neste país, considerado crime, cuja pena poderá ir até 14 anos de prisão.
Um estudo recente revela que a maioria dos britânicos são favoráveis à alteração da legislação que proíbe a eutanásia no Reino Unido.
O crescente número de estrangeiros, nomeadamente britânicos, que se deslocam à Suiça para morrer preocupa as autoridades suíças.De facto, são cada vez mais aqueles que pretendem beneficiar de eutanásia para cessar o sofrimento que os assola.

Fonte : Público